Está entre os melhores cursos de Ciências Biológicas do país. Nota máxima no Enade e cursos 5 estrelas pelo Guia Quero Educação
Nossos programas de pós-graduação contam com docentes de reconhecimento nacional e internacional em suas áreas de pesquisa, e oferecem cursos de mestrado, doutorado e mestrado profissional
Com pesquisas publicadas nas melhores revistas, nossos pesquisadores tem colaborado efetivamente com o desenvolvimento das ciências biológicas.
Conheça nossos cursos de extensão e serviços oferecidos por nossos laboratórios e pesquisadores.
Domingos da Silva Leite

Atuo nos temas: 1) Escherichia coli: fatores de virulência e resistência aos antimicrobianos; 2) Quitridiomicose dos anfíbios: Isolamento, cultivo e diagnóstico molecular do fungo Batrachochytrium dendrobatidis; 3) Macrofungos da ARIE Mata da Santa Genebra, diversidade e filogenia molecular.

Fernanda Ramos Gadelha

As atividades de pesquisa desenvolvidas em nosso laboratório têm por objetivo estudar a Bioquímica de tripanosomatídeos, em especial o Trypanosoma cruzi, com ênfase na bioenergética e nos mecanismos antioxidantes desses parasitas. Nós testamos também compostos em potencial para o desenvolvimento de uma terapia mais específica e portanto menos tóxica para a doença de Chagas.

Valéria Helena Alves Cagnon Quitete

O laboratório de Biologia da Reprodução tem nos últimos 15 anos estudado as alterações do microambiente prostático como as lesões proliferativas associadas ou não ao processo de envelhecimento. A dinâmica do estroma prostático bem como as interações epitélio-estroma têm sido focos de estudo, visto o papel decisivo desses no desenvolvimento e progressão do adenocarcinoma da próstata, associado a processos como inflamação, angiogênese, estresse oxidativo. Nesses estudos, o uso de diferentes terapias, incluindo produtos naturais, como a jabuticaba, e um modelo de camundongo transgênico para o adenocarcinoma de próstata (TRAMP) são utilizados em conjunto com técnicas de imunohistoquímica, Western Blotting, microdissecção, morfologia, estereologia e PCR. Estudos in vitro com células prostáticas humanas andrógeno-dependente e andrógeno-independente têm sido avaliados, particularmente, considerando a relação entre o câncer de próstata e os processos de angiogênese, inflamação e estresse oxidativo.