Histórico

Os programas de Mestrado e Doutorado do Curso de Pós-Graduação em Ecologia foram implantados em 1976 e 1980, respectivamente, com o objetivo de formar mestres e doutores capazes de tomar posições de liderança no ensino e pesquisa em ecologia. Desde a primeira tese de mestrado, em 1979, o Curso concedeu até dezembro de 2014, 356 diplomas de Mestre e, desde 1985, 207 diplomas de Doutor. Durante os seus 39 anos de existência, o Curso vem aumentando e modificando seu quadro de professores permanentes e participantes. Hoje o Curso reúne um corpo docente diversificado, oriundo de diversas Unidades da UNICAMP (Departamento de Biologia Animal, Departamento de Biologia Vegetal, Departamento de Genética e Evolução, Museu de História Natural, Núcleo de Estudos Populacionais e Ambientais, Instituto de Física) e de outras Instituições (USP, UNESP, UFG, UFRGS e UNIFESP). O Curso de Ecologia da UNICAMP é hoje internacionalmente reconhecido como um dos mais representativos centros de pesquisa ecológica no Brasil. Enfoca áreas básicas, conceitualmente fundamentais de Ecologia de Populações, Ecologia de Comunidades e Ecologia de Ecossistemas, por meio de estudos de campo comparativos ou experimentais e de estudos teóricos. As pesquisas sobre Biodiversidade consideram uma ampla gama de grupos taxonômicos de organismos terrestres e marinhos, além de desenvolver aspectos teóricos e métodos analíticos originais. Pesquisas aplicadas têm sido direcionadas para conservação biológica, e recomposição de áreas degradadas, uso de bioindicadores, agroecossistemas, doenças parasitárias, etnobiologia e entomologia forense, entre outras. Os componentes genéticos da biodiversidade também têm sido tema de diversas teses, além do aumento progressivo das linhas de pesquisa que incorporam análises moleculares em seus estudos. Os Cursos de Mestrado e Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ecologia têm conceito "7" pela Avalição CAPES.

 

 

Teses defendidas