Página pessoal

Flavio Antonio Maës dos Santos
 
Formação Acadêmica
Graduação: Biólogo, modalidade Ecologia – Instituto de Biologia – UFRJ (1978).

Mestrado: Ciências Biológicas, área Ecologia – Instituto de Biologia – UNICAMP (1983). Título da tese: Aspectos da dinâmica de populações de Acanthospermum hispidum DC. (Compositae), uma planta invasora. Orientador: Prof. Dr. William Henry Stubblebine.

Doutorado: Ciências Biológicas, área Ecologia – Instituto de Biologia – UNICAMP (1991). Título da tese: Padrão espacial de jovens em relação a adultos de espécies arbóreas de cerrado que ocorrem no estado de São Paulo. Orientador: Prof. Dr. Paulo Sodero Martins.
 
Contato
Universidade Estadual de Campinas
Instituto de Biologia
Rua Monteiro Lobato, 255 - Campinas - SP - Brasil
CEP 13083-862
Departamento de Biologia Vegetal

Email:
Fone: 35216156
Currículo Lattes:
Página pessoal: http://www2.ib.unicamp.br/profs/fsantos/
 
Publicações relevantes/recentes
Martins, V.F., Seger, G.D.S., Wiegand, T. & Santos, F.A.M. 2018. Phylogeny contributes more than site characteristics and traits to the spatial distribution pattern of tropical tree populations. Oikos 127 (9): 1368-1379.
 
Dias, A.S., Santos, K., Santos, F.A.M. & Martins, F.R. 2017. How liana loads alter tree allometry in tropical forests. Plant Ecology 218 (2): 119-125.
 
Darrigo, M.R., Venticinque, E. & Santos, F.A.M. 2016. Effects of reduced impact logging on the forest regeneration in Central Amazonia. Forest Ecology and Management 360: 52-59.
 
Reis, T.S., Ciampi-Guillardi, M., Bajay, M.M., Souza, A.P. & Santos, F.A.M. 2015. Elevation as a barrier: genetic structure for an Atlantic rain forest tree (Bathysa australis) in the Serra do Mar mountain range, SE Brazil. Ecology and Evolution 5 (9): 1919-1931.
 
Garcia, L.C., Hobbs, R.J., Santos, F.A.M. & Rodrigues, R.R. 2014. Flower and fruit availability along a forest restoration gradient. Biotropica 46 (1): 114-123.
 
 
Pesquisa
Ecologia de Populações de Plantas
Uma população é um conjunto de indivíduos da mesma espécie que ocorrem num certo espaço. As populações podem ser caracterizadas por sua estrutura e dinâmica. A estrutura de uma população refere-se a como os indivíduos ocupam o espaço, como estão distribuídos em diferentes classes de idade, de desenvolvimento ontogenético ou tamanho. A dinâmica refere-se à variação quantitativa dos indivíduos e da estrutura no tempo. Os estudos visam (1) descrever a estrutura das populações, relacionando-as com variações no ambiente, (2) descrever a forma dos indivíduos ao longo de sua ontogenia, através de análises morfométricas utilizando modelos quantitativos, (3) analisar a dinâmica das populações e os fatores que a influenciam e (4) conhecer as relações entre populações de espécies diferentes em uma comunidade.
 
Ecologia de Comunidades Vegetais
Uma comunidade é um conjunto de espécies, cujos indivíduos interagem entre si e com o ambiente abiótico. Uma comunidade pode ser caracterizada através de vários descritores. A arquitetura refere-se ao arranjo dos indivíduos no espaço e no tempo. A composição refere-se às espécies e às formas de plantas que constituem a comunidade. A estrutura refere-se à abundância dos elementos da comunidade e a seu arranjo no espaço. A dinâmica diz respeito à variação desses descritores no tempo. Essa linha de pesquisa objetiva descrever (1) a composição e a estrutura de comunidades de diferentes formações vegetacionais, (2) os padrões de distribuição geográfica e de variação de abundância de suas espécies, (3) as relações florístico-estruturais entre as formações, (4) estimar a biodiversidade dessas comunidades e (5) sua variação espacial e temporal e relações com variáveis ambientais do clima, solo, relevo e estado de conservação.
 
 
Equipe
Nome: Leon Vieira Amaral
Cursando:MS
 
Nome: Caio Jefiter dos Reis Santos Soares
Cursando:DR
 
Nome: Kelly Fernandes de Oliveira Ribeiro
Cursando:DR
 
Nome: Diego Sotto Podadera
Cursando:DR
 
Nome: Aline Luisa Mansur
Cursando:DR
 
Nome: Micaelle Sônia de Alcantara
Cursando:DR